SEGUIDORES DO BLOG

Quer participar do blog
Como seguidor?

CLIQUE AQUI!

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

10 dicas de educadores financeiros para você se livrar de vez das dívidas

A compulsão por compras pode dar muita dor de cabeça. Além de geralmente ser acompanhada de endividamento, a falta de controle na hora de gastar pode prejudicar ainda mais a vida do devedor. Um dos responsáveis pelo grupo dos Devedores Anônimos do Rio de Janeiro, que preferiu não se identificar, revela que o grau mais elevado do problema acaba com relacionamentos e afunda os negócios.

“Nas reuniões do grupo, há vários tipos de queixas. As mais comuns são sobre brigas e fins de casamentos por causa de problemas com dívidas ou mesmo de gente que tem três empregos e não consegue guardar dinheiro. Mas também existem casos mais graves, de pessoas que estão levando os seus negócios à falência ou até sendo ameaçadas de morte por agiotas”, conta o devedor anônimo.

1) Pague à vista

Para os especialistas em finança, a dica mais básica e eficiente de todas é: pague à vista. “Quem faz isso, além de conseguir preços menores, foge da dívida. Basta essa única receita para nunca mais entrar no vermelho. Se não tiver dinheiro para pagar à vista e o produto não for um bem de primeira necessidade, como alimentação e moradia, não vale a pena comprar”, afirma Modernell.

2) Peça desconto 

Muitas pessoas têm vergonha de pedir abono na hora da compra e acabam perdendo a oportunidade de economizar. “É a lógica do quem não pede não leva”, explica Modernell. O educador ainda lembra que a diminuição de preço é outro benefício, já que muitos estabelecimentos oferecem gratificações quando se paga à vista. Portanto, mais um motivo para seguir à risca a primeira dica.

3) Diminua o número de cartões

Se você é do tipo que anda com a carteira recheada de cartões, é bom cortar o hábito. “Você deve ter poucos cartões. Tenha dois, no máximo, três”, explica Calil. Quanto menor o número de cartões, menor o número de crédito e, consequentemente, de possibilidade de se endividar. O orientador ainda explica que a soma dos limites dos cartões não pode ser maior do que 50% da sua renda. “Tem várias contas que você não paga com o cartão e que fazem parte de suas despesas. Por causa disso, é provável que você perca o controle do dinheiro e faça dívidas. No caso do cheque especial, esse limite cai para 10% da renda.”

4) Pense antes de comprar

As tentações são comuns. Quem nunca viu aquela roupa ou produto eletrônico nas vitrines e ficou tentado a comprar? Os especialistas dizem que, nesta hora, o essencial é se perguntar: “eu realmente preciso disso?”. Se achar que é essencial, ainda assim pesquise e veja se encontra o item por um preço menor em outro local.

5) Arrume lucros extras

Caso o valor da dívida seja muito alto e você sinta que perdeu o controle da situação, Calil recomenda fontes alternativas de renda. “Se você é bom em alguma área, pode dar aulas particulares. Por exemplo, de informática, inglês ou matemática.”

6) Peça a nota fiscal

Para Modernell, uma forma rápida e eficiente de poupar dinheiro é solicitar o CPF na nota fiscal. “Falando o número do CPF, o consumidor pode se beneficiar com descontos e até crédito em dinheiro, dependo do Estado.”
7) Aprenda a dizer “Não”

Calil pontua que muitas pessoas com problemas financeiros acabam se complicando ainda mais ao emprestar dinheiro para terceiros. “É preciso aprender a dizer não aos familiares e amigos que pedem dinheiro a você.”
8) Fique esperto com promoções

Não se deixe enganar por falsas liquidações, explica Modernell. “É essencial saber quando a promoção é realmente uma promoção. Pessoas que não sabem qual é o real valor do produto podem acabar pagando mais caro por isso.” Calil ainda avisa que sempre vale a pena esperar para comprar produtos eletroeletrônicos. “Uma televisão que hoje custa R$ 4 mil daqui a quatro meses vai sair por R$ 3,5 mil.”
9) Saiba seus ganhos, gastos e lucros

Tenha noção de seus lucros e gastos. Como explica Calil, é necessário saber o quanto se ganha. “Às vezes, o salário nominal é de R$ 2 mil e o montante líquido é menor do que isso. Ter certeza de quanto você ganha é um passo essencial para evitar dívidas.” Se possível, faça planilhas para ter maior controle do que entra e sai da conta.

10) Invista no controle de gastos

Por fim, Modernell estimula os devedores e os compulsivos por compras a fazerem um rígido período de adaptação e controle de gastos. “Desejos podem e devem ser realizados. Se não estiver com dinheiro, economize e faça reserva durante um tempo. A prioridade é pagar a dívida e, depois de liquidar as obrigações, aproveite para ter prazer sem dor de cabeça.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário